quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Aparecida : 300 Anos de Amor

Boa noite amigos , hoje estamos na abençoada noite de 11 de Outubro de 2017  , noite que precede o bendito dia em que faz 300 anos que foi encontrada a bendita imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida no  Porto Itaguaçu por três humildes pescadores , e que desde então encheu de prodígios e milagres aqueles que com amor a ela recorreram , como ocorrido na pesca abundante , na cura da menina cega , a libertação do escravo Zacarias , entre tantos outros sinais de seu amor , Maria que como  a mãe negra apareceu em meio as águas do Rio Paraíba do Sul , primeiramente acharam o corpo da imagem e em outro ponto ao lançarem novamente as redes encontraram a cabeça que encaixava perfeitamente com o corpo anteriormente encontrado e que a partir de então ajudou os pobres pescadores a terem uma pesca farta ,essa é a mãe padroeira da terra de santa cruz que ao ver a fé que começava a esfriar no Brasil surge para juntar os pedaços da fé e refazer a imagem de Deus em nossos corações ,que veio cuidar do Brasil que doente por falta de amor a Deus definhava de todos os males , e ainda hoje quando rememoramos a pescaria mais bendita dessa terra ela qual mãe prestimosa zela pelo adoentado povo da terra de Santa Cruz que definha em tanta violência , maldade e falta de amor , mas como sua imagem que outra hora em 16  de Maio de 1978 fora quebrada ela mantem apenas as mãos  postas em oração intactas significando que apenas a oração pode juntar os pedaços de nossa sociedade brasileira esfacelada no mal e restituir a fé , a moral e os bons costumes , que outrora grassaram aqui , e restaurar o Brasil , essa terra linda e cheia de riquezas , de um povo acolhedor ao estado sagrado de TERRA DE SANTA CRUZ , viva a mãe que nunca nos abandonou e que ainda vé-la pelo Brasil  em suas dores e que há de restaurar todas as coisas .
Viva a Santa mãe Nossa Senhora da Conceição Aparecida , padroeira e defensora do Brasil.

sábado, 13 de maio de 2017

O Centenário de Fátima

Boa e santa noite amigos , neste dia tão glorioso como não posso meditar que Deus exalta os humildes e despede os soberbos , ricos segundo o mundo de mãos vazias , hoje para glória de Deus forma canonizados os santos pastorinhos de Fátima agora são Francisco e santa Jacinta Marto , tardiamente pela Igreja , mas a muito pelo povo , pelos fiéis que já viram na vida e exemplos destas santas crianças o quanto Deus e Nossa Senhora sob o titulo de Nossa Senhora de Fátima agiram em prol do mundo .
Três pastorinhos de uma aldeia de Fátima que como crianças de coração puro aceitaram de espirito livre serem almas sacrificiais e orantes para salvar do Inferno os pecadores que em prol de sua salvação nada fazem e voluntariamente se lançam nos braços do demônio por uma vida corrompida.
Com alegria e jubilo recebem hoje a honra dos altares , a honra de que todos possamos olhar suas imagens e lembrar seu exemplo , coragem e desprendimento em prol da salvação do próximo , e até salvação minha e sua que caso a mão da mãe do céu não interviesse poderíamos ter sido fulminados na guerra fria que poderia sim ter sido a 3ª Guerra Mundial que extinguiria a todos em instantes .
Fátima na figura dos três pastorinhos : Lúcia ,Francisco e Jacinta é um apelo vivo de uma mãe de amor que a 100  anos grita no deserto do mundo para que seus filhos voltem a Deus e se salvem .
Com muito amor e carinho hoje com as habilidades que tenho ofereço a estes guerreiros da fé minha homenagem :
Santos Pastorinhos Lúcia , Francisco e Jacinta rogai por nós .

"Memórias da Irmã Lúcia" 
 As Aparições em Fátima (13 de Maio de 1917) 

 Primeira Aparição


Andando a brincar com a Jacinta e o Francisco, no cimo da encosta da Cova da Iria, a fazer uma pequena parede em volta duma moita, vimos, de repente, como que um relâmpago.
– É melhor irmos embora para casa, – disse a meus primos – que estão a fazer relâmpagos; pode vir trovoada.
– Pois sim.
E começamos a descer a encosta, tocando as ovelhas em direção à estrada. Ao chegar, mais ou menos a meio da encosta, quase junto duma azinheira grande que aí havia, vimos outro relâmpago e, dados alguns passos mais adiante, vimos, sobre uma carrasqueira, uma Senhora, vestida toda de branco, mais brilhante que o Sol, espargindo luz, mais clara e intensa que um copo de cristal, cheio d’água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente. Paramos surpreendidos pela aparição. Estávamos tão perto, que ficávamos dentro da luz que A cercava ou que Ela espargia, talvez a metro e meio de distância, mais ou menos.
Então Nossa Senhora disse-nos:
– Não tenhais medo. Eu não vos faço mal.
– De onde é Vossemecê? – lhe perguntei.
– Sou do Céu.
– E que é que Vossemecê me quer?
– Vim para vos pedir que venhais aqui seis meses seguidos, no dia 13 a esta mesma hora. Depois vos direi quem sou e o que quero. Depois voltarei ainda aqui uma sétima vez.
– E eu também vou para o Céu?
– Sim, vais.
– E a Jacinta?
– Também.
– E o Francisco?
– Também, mas tem que rezar muitos terços.
Lembrei-me então de perguntar por duas raparigas que tinham morrido há pouco. Eram minhas amigas e estavam em minha casa a aprender a tecedeiras com minha irmã mais velha.
– A Maria das Neves já está no Céu?
– Sim, está.
Parece-me que devia ter uns 16 anos.
– E a Amélia?
– Estará no purgatório até ao fim do mundo.
Parece-me que devia ter de 18 a 20 anos.
– Quereis oferecer-vos a Deus para suportar todos os sofrimentos que Ele quiser enviar-vos, em acto de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores?
– Sim, queremos.
– Ides, pois, ter muito que sofrer, mas a graça de Deus será o vosso conforto.
Foi ao pronunciar estas últimas palavras (a graça de Deus, etc.) que abriu pela primeira vez as mãos, comunicando-nos uma luz tão intensa, como que reflexo que delas expedia, que penetrando-nos no peito e no mais íntimo da alma, fazendo-nos ver a nós mesmos em Deus, que era essa luz, mais claramente que nos vemos no melhor dos espelhos. Então, por um impulso íntimo também comunicado, caímos de joelhos e repetíamos intimamente:
– Ó Santíssima Trindade, eu Vos adoro. Meu Deus, meu Deus, eu Vos amo no Santíssimo Sacramento.
Passados os primeiros momentos, Nossa Senhora acrescentou:
– Rezem o terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra.
Em seguida, começou-Se a elevar serenamente, subindo em direção ao nascente, até desaparecer na imensidade da distância. A luz que A circundava ia como que abrindo um caminho no cerrado dos astros, motivo por que alguma vez dissemos que vimos abrir-se o Céu.
Parece-me que já expus, no escrito sobre a Jacinta ou numa carta, que o medo que sentimos não foi propriamente de Nossa Senhora, mas sim da trovoada que supúnhamos lá vir; e dela, da trovoada, é que queríamos fugir. As aparições de Nossa Senhora não infundem medo ou temor, mas sim surpresa. Quando me perguntavam se tinha sentido e dizia que sim, referia-me ao medo que tinha tido dos relâmpagos e da trovoada que supunha vir próxima; e disto foi do que quisemos fugir, pois estávamos habituados a ver relâmpagos só quando trovejava.
Os relâmpagos também não eram propriamente relâmpagos, mas sim o reflexo duma luz que se aproximava. Por vermos esta luz, é que dizíamos, às vezes, que víamos vir Nossa Senhora; mas, propriamente, Nossa Senhora só A distinguíamos nessa luz, quando já estava sobre a azinheira. O não sabermos explicar e querer evitar perguntas foi que deu lugar a que umas vezes disséssemos que A víamos vir, outras que não. Quando dizíamos que sim, que A víamos vir, referiamo-nos a que víamos aproximar essa luz que, afinal, era Ela. E quando dizíamos que A não víamos vir, referíamos a que, propriamente Nossa Senhora, só A víamos quando já estava sobre a azinheira.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Apostasia!

Primeiramente um bom dia a todos os amigos que acompanham de quando em quando este blog ,começo com a citação do Apocalipse 12,15-17  :

15.A Serpente vomitou contra a Mulher um rio de água, para fazê-la submergir.
16.A terra, porém, acudiu à Mulher, abrindo a boca para engolir o rio que o Dragão vomitara.
17.Este, então, se irritou contra a Mulher e foi fazer guerra ao resto de sua descendência, aos que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus."

A luz desta leitura vemos a realidade da Apostasia que é o rio que o demônio vomita contra Maria a mãe de Cristo , a Apostasia nada mais é que aqueles que abandonam a sua verdadeira fé e a deturpam a fazem a seu bel prazer , hoje o Católico cristão não pode mais ser passivo ser um SAULO que segura o manto e apoia a perseguição a verdade nas Aparições de Maria na Terra ou até da verdade do evangelho tão negada hoje pelos que a deviam defender , temos que ser como Paulo que lutou o bom combate independente de quem seja , porque hoje é fácil ver que os ministros de Deus com raras exceções se converteram nos falsos profetas dos últimos tempos a deturpar a fé os bons  costumes e a tradição da Santa fé Católica , por maus exemplos , palavras e sermões venenosos cheios de teorias suas ou distorções da palavra de Deus , hoje abundam aqueles que se revestem da proteção das vestes sacerdotais como um escudo para ensinar mentiras e escandalizar a fé dos pequeninos do reino de Deus , vemos pedofilia , comunismo , ecumenismo , sacerdotes artistas , aqueles que negam os milagres de Cristo , que perseguem as Aparições da mãe de Deus ao longo da história da humanidade por pura maldade e orgulho , o verdadeiro Cristão deve erguer se e lutar pela verdadeira IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA deixada por Jesus a seus apóstolos e a sua mãe , sem ou com uma roupa sacerdotal um homem é um homem e que tem liberdade de seguir a Deus e salvar almas , bem como ser um apostata traidor que não entra no reino do céus e não deixa os outros entrarem .
Combatamos o bom combate para sustentar a igreja que hoje é destruída de dentro pra fora , por palavras e atos vergonhosos de seus ministros , que como se vê a exemplo do que está prestes a ocorrer com a nossa Padroeira , permitem que a santa mãe aparecida seja profanada na festa mais nefanda o Carnaval , isso tudo é o rio de águas da besta que quer submergir o respeito ao sagrado e soterrar a verdade da fé no limbo do esquecimento e desprezo dos homens , Levante se terra em defesa da mulher revestida de sol como um cavaleiro da Imaculada  e mate o monstro da Apostasia que como câncer mata a santa fé Católica .

Maria Santíssima ao Padre Stefano Gobbi 17 de junho de 1989

O número da besta: 666 — "Filhos prediletos, compreendei agora o plano da vossa Mãe Celeste, a Mulher vestida de sol, que combate, com o seu exército, na grande luta contra todas as forças do mal, para obter a sua vitória, na perfeita glorificação da Santíssima Trindade.
Combatei comigo, filhos pequeninos, contra o dragão, que procura levar toda a humanidade contra Deus.
Combatei comigo, filhos pequeninos, contra a besta negra, a maçonaria, que quer conduzir as almas à perdição.
Combatei comigo, pequenos filhos, contra a besta semelhante a um cordeiro, a maçonaria infiltrada no interior da vida eclesiástica para destruir Cristo e a sua Igreja.
Para alcançar este objetivo quer construir um novo ídolo, isto é, um falso Cristo e uma falsa Igreja
A maçonaria eclesiástica recebe ordens e poder das lojas maçônicas e trabalha para conduzir secretamente todos a fazer parte destas seitas secretas.
Assim, impele os ambiciosos com a perspectiva de uma carreira fácil; enche de bens os sedentos por dinheiro; ajuda os seus membros a se projetarem e a ocuparem os postos mais importantes, enquanto marginaliza, de maneira traiçoeira, mas decidida, todos os que se recusam a participar do seu desígnio.
De fato, a besta semelhante a um cordeiro exerce todo o poder da primeira besta, em sua presença, e constringe a terra e os seus habitantes a adorar a primeira besta.
A maçonaria eclesiástica chega até mesmo a construir uma estátua em honra da besta e constringe todos a adorar esta estátua.
Mas, segundo o primeiro mandamento da santa lei do Senhor, só a Deus se deve adorar e só a Ele deve ser dada qualquer forma de culto.
Então se substitui DEUS por um ídolo, poderoso, forte, dominador, um ídolo tão poderoso, que pode mandar matar todos os que não adoram a estátua da besta.
Um ídolo tão forte e dominador, que faz com que todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos recebam uma marca sobre a mão direita e sobre a fronte, e que ninguém possa comprar ou vender sem que tenha tal marca, ou seja, o nome da besta ou o número do seu nome, este grande ídolo, construído para ser adorado e servido por todos, como já vos revelei na mensagem precedente, é um falso Cristo e uma falsa Igreja.
Mas qual é o seu nome?
No capítulo 13 do Apocalipse está escrito: Aqui está a sabedoria. Quem tem inteligência calcule o número da besta: ele representa um nome de homem. E tal número é 666. - Com inteligência, iluminada pela luz divina da sabedoria, consegue-se decifrar no número 666 o nome de um homem e este nome, indicado por tal número, é o do anticristo.
Lúcifer, a antiga serpente, o diabo ou satanás, o dragão vermelho, torna-se nestes últimos tempos, o anticristo.
Já o apóstolo João afirmava que quem nega que Jesus Cristo é Deus, este é o anticristo.
A estátua ou o ídolo, construído em honra da besta, para ser adorado por todos os homens é o anticristo.
Calculai agora o seu número 666, para compreender como ele indica o nome de um homem.
O número 333 indica a Divindade.
Lúcifer rebela-se contra Deus por soberba, porque quer colocar-se acima de Deus.
O 333 é o número que indica o mistério de Deus, aquele que quer se colocar acima de Deus leva o sinal de 666, portanto este número indica o nome de lúcifer, satanás, isto é, daquele que se coloca contra Cristo, do anticristo.
O 333 indicado uma vez, isto é, por 1, exprime o mistério da unidade de Deus.
O 333 indicado duas vezes, isto é, por 2, indica as duas naturezas, a divina e a humana, unidas na Pessoa divina de Jesus Cristo.
O 333 indicado três vezes, isto é, por 3 indica o mistério das três pessoas divinas, isto é, exprime o mistério da Santíssima Trindade.
Portanto o número 333, expresso uma, duas e três vezes, exprime os mistérios principais da fé católica, que são: 1º: a Unidade e a Trindade de Deus; 2º: a encarnação, a paixão, a morte e a ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo.
Se o número 333 indica a Divindade, aquele que se quer colocar acima do próprio Deus é indicado pelo número 666.
O número 666, indicado uma vez, isto é, por 1, exprime o ano 666.
Seiscentos e sessenta e seis.
Neste período histórico, o anticristo se manifesta através do Islão, que nega diretamente o mistério da divina Trindade e a Divindade de nosso Senhor Jesus Cristo.
O islamismo, com a sua força militar, se desencadeia por toda a parte, destruindo todas as antigas comunidades cristãs, invade a Europa e só por minha materna e extraordinária intercessão, solicitada fortemente pelo Santo Padre, não consegue destruir completamente a cristandade.
O 666 indicado duas vezes, isto é, por 2, exprime o ano de 1332, mil trezentos e trinta e dois.
Neste período histórico, o anticristo se manifesta com um ataque radical à fé na Palavra de Deus.
Através dos filósofos, que começam a dar um valor exclusivo à ciência e depois à razão, tende-se gradualmente a construir como único critério de verdade somente a inteligência humana. Nascem os grandes erros filosóficos, que continuam nos séculos até os vossos dias.
A importância exagerada dada à razão, como critério exclusivo de verdade, leva necessariamente à destruição da fé na Palavra de Deus.
De fato, com a reforma protestante, se rejeita a Tradição como fonte da Divina Revelação, e se aceita somente a Sagrada Escritura.
Mas, também esta deve ser interpretada por meio da razão, e se rejeita obstinadamente o Magistério autêntico da Igreja hierárquica, à qual Cristo confiou a guarda do depósito da fé.
Cada um é livre para ler e para compreender a Sagrada Escritura, segundo a sua interpretação pessoal.
Desta maneira é destruída a fé na Palavra de Deus.
Obra do anticristo, neste período histórico, é a divisão da Igreja, a consequente formação de numerosas confissões cristãs, que são gradualmente impelidas a uma perda cada vez mais extensa da verdadeira fé na Palavra de Deus.
O número 666 indicado três vezes, isto é, por 3, exprime o ano de 1998, mil novecentos e noventa e oito.
Neste período histórico, a maçonaria ajudada pela maçonaria eclesiástica, conseguirá o seu grande intento: construir um ídolo para colocar no lugar de Cristo e da sua Igreja.
Um falso Cristo e uma falsa Igreja. Portanto, a estátua construída em honra da primeira besta, para ser adorada por todos os habitantes da terra e que assinalará com a sua marca todos aqueles que queiram comprar ou vender, é a do anticristo.
Chegaste assim ao vértice da purificação, da grande tribulação e da apostasia.
A apostasia será então generalizada porque quase todos seguirão o falso Cristo e a falsa Igreja.
Então, será aberta a porta para o aparecimento do homem ou da própria pessoa do anticristo!
Eis, filhos prediletos, porque vos quis iluminar sobre as páginas do Apocalipse, que se referem aos tempos em que viveis."